segunda-feira, 5 de maio de 2008

Católico, de Direita, Casado e... Gay

Frédéric Minvielle fez tudo como devia ser: foi entregar os papéis do casamento à embaixada francesa em Amesterdão após o casamento com um cidadão holandês, em 2003. Minvielle quis a cidadania holandesa como forma de apreço pelo país permitir o seu casamento com outro homem. Segundo os acordos entre Holanda e França, é possível que um cidadão francês tenha dupla nacionalidade, caso assuma a da pessoa com quem casou. Assim, Minvielle achava que, ao comunicar a sua situação à Embaixada de França, manteria a nacionalidade francesa. Mas não.

A fundamentação legal das autoridades francesas é que, como a França não reconhece o casamento homossexual, Minvielle está solteiro e assumiu uma segunda nacionalidade, não podendo manter a francesa. Só o poderia fazer se estivesse casado. E, para a França, não está.

"Sinto-me um criminoso", disse Minvielle ao Libération, na sua casa em Amesterdão. E logo um cidadão como ele: "Sou católico, de direita, votei "Sarko".

Público.pt

Alguém devia explicar a este senhor que, à luz da sua religião, ele irá passar o resto da Eternidade a arder no Inferno. E que, à luz da orientação ideológica do seu partido, ele tem muita sorte (e não graças ao seu partido) em ser tolerado pelo Estado.

3 comentários:

Tárique disse...

Eu não me canso de dizer, apesar de surpreender muita gente cá em Portugal:

Na Holanda, a grande parte dos homossexuais é ultra-reaccioária, intolerante, ultra-xenófoba e conservadora, e mesmo fascista e a maior parte vota Balkenende, Verdonk ou Wilders.

max disse...

Não me espanta, tárique. É muito interessante o reparo que faz. mas também é conhecido da sociologia política a tendência das minorias para, uma vez integradas, assimilarem com particular facilidade os preconceitos da maioria que outrora lhe era hostil.

Igor disse...

Tárique, isso não é bem verdade. Terás toda a razão se disseres que a maior parte dos homossexuais holandeses não gosta da comunidade muçulmana. Mas já reparaste que essa é a única comunidade que gera esse tipo de reacção? Reparaste que, se Pim Fortuyn era gay, o seu nº2 era filho de caboverdianos?

A questão não está em os homossexuais serem reaccionários. Está em que, reaccionários, são os muçulmanos.