sábado, 9 de fevereiro de 2008

Caviar transatlântico


Miguel Portas, no Sol desta semana, afirma que Obama está mais à Esquerda que Hillary. A argumentação é má; sem querer - e achando o cliché, para além de falso, de mau gosto - não pôde deixar de me vir à cabeça a ideia da Esquerda caviar. Hillary não se limita a ter um programa político mais à Esquerda que o oponente: ela tem o apoio das classes mais baixas dos EUA, ao contrário de Obama, que é apoiado pela classe média e média-alta.

Será que a Esquerda caviar encontrou, do outro lado do Atlântico, a sua plena concretização?

3 comentários:

Rui Caetano disse...

Ora, esta esquerda, este tipo de esquerda de caviar ao pequeno almoço tem muito que se lhe diga.

José Luiz Sarmento disse...

Não percebo o que é que este pessoal tem contra o caviar.

Provem, pá. É bom. E não transforma nenhum Dr. Jekyll de esquerda num Mr. Hyde de direita.

Quanto a Obama estar mais à direita ou mais à esquerda do que Clinton, acho que um bom critério é o de Daniel Oliveira: follow the money. Clinton recebe muito mais dinheiro do que Obama das petrolíferas e da indústria de armamento; mas Obama recebe muito mais dinheiro do que Clinton no cômputo geral, o que quer dizer que tem do seu lado pelo menos uma boa parte das classes médias.

E ontem, 12 de Fevereiro, começou finalmente a ir buscar votos aos brancos blue collar. Ou eu me engano muito, ou Obama vai poder governar bastante mais à esquerda do que Clinton o poderia fazer, mesmo que quisesse...

Igor disse...

Seguir o dinheiro não é grande estratégia. Talvez ler o programa político valha bastante mais, mas admito que seja mais trabalhoso...